Sobre seguir os próprios conselhos

menina-telefone-chamada

Queria eu poder acreditar no que digo. Acreditar nos conselhos que dou, e quem sabe usá-los corretamente uma vez na vida. Dou uma olhada no espelho e digo a mim mesma ”Garota, você não pode viver assim, não”, mas quem disse que consigo sair dessa? Não é tão fácil assim o quanto eu escrevo. A gente pode até seguir uma receita de bolo, mas uma hora ou outra a coisa desanda. 

É sempre assim. Tenho todas as armas, sei bem como é que acaba e como é que acontece, e até já repeti esse erro. Tenho ás cartas na manga e os conselhos que repasso pra outras pessoas me servem naquela situação, mas pra meu coração, nem minhas próprias palavras o fazem conformar de que aquilo é um erro, de que será mais uma decepção acumulada. 

Queria eu poder ter um caminho certo, algo que quando foste realizado me daria uma luz, um destino, uma certeza. Mas certezas são coisas que não me pertencem. Na verdade, são as incertezas que me movem e me trouxeram até aqui. Os conselhos que tenho ouvido me trazem a consciência do que realmente é certo, e do que devo fazer, mas pra meu coração esse certo é errado, e doloroso. 

Persistência. Talvez essa seja a palavra. Na verdade, persistência no erro está melhor adequado á mim. É nessa persistência que estou afogada, mas ao contrário dos outros afogados, eu não quero ser salva. Ser salva é doloroso, nesta situação. Bem, pra ser mais exata, há horas que quero ser salva, outras que quero me afogar nessa imensidão profunda só pra conferir se ainda há uma esperança, mesmo que seja pequena. Pode até ser perigoso e profundo demais para prender a respiração até lá, mas esse sentimento me parece bom e a esperança de um final feliz me motiva a cada vez mais mergulhar. Com medo, porém continuar a mergulhar.

Esperança. Esperança de que? Eu não sei, mas se existir eu temo a acreditar. Só espero que não sejam falsas, ser abandonada em meio de uma guerra é uma das cenas que eu não quero protagonizar. Só te peço que não deixe que seus medos encurtem sua coragem. E que seus planos, objetivos e sonhos sejam a tua oração todos os dias. Não deixe que tudo se apague de vez. Não desse jeito.

Ainda vejo uma luz no fim do túnel. Uma luz fraca, e quase sem energia. Sustentada pelas míseras migalhas de amor que ainda existem.

Só não desista. E insiste. E não desiste. Que desistir de você é daquelas coisas que eu não faço. Posso parecer derrotada, mas na verdade, estou tentando me conformar com tudo isso. Eu sei não tenho lutado, desculpe. Mas meu silêncio ainda é uma preferência por aqui. E as minhas ações estão bloqueadas pelas minha divergência de sentimentos. Mesmo que eu quisesse, não consegui Mas estou aqui, quieta no meu canto, remoendo os meus pensamentos um por um, pra um dia poder ancorar nosso amor no futuro.

Sou apenas uma garota. Tenho uma pilha de coisas pra fazer, incertezas no bolso, e-mails nunca lidos e um coração frágil, porém forte.

post-por

Anúncios

5 comentários sobre “Sobre seguir os próprios conselhos

  1. Sobre o título: não consigo seguir meus próprios conselhos…
    sobre a vida: se conselho fosse bom, ninguém dava, vendia… faz o que te der na telha, umas vezes a gente acerta, outras várias a gente erra, mas tudo gera aprendizado

    Curtir

Esse blog AMA COMENTÁRIOS! :D

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s